Porque o meu bebé anda sempre no sling?

By

Porquê que o meu bebé anda sempre no sling? Não vai ficar habituado a andar sempre assim? Porquê um ring sling? Estas são perguntas que as mães e futuras mães me colocam frequentemente ao perceberem que o Dinis anda, de facto, sempre no sling, já que tanto nas fotos que publico como nos directos que faço ele aparece sempre nestes “preparos”.

Ora, um bebé esta “programado” para estar permanentemente em contacto com a mãe. Foi este instinto, esta necessidade que permitiu a continuidade e evolução da nossa espécie ao longo dos séculos.

Os tempos são outros mas as necessidades primárias dos bebés continuam as mesmas, só que infelizmente temos uma sociedade que teima em querer negar essas necessidades, e temos mães sem quaisquer apoios e que ainda são muitas vezes julgadas por quererem responder a estas necessidades dos bebés, sendo acusadas de os estarem a “habituar mal”.

E é exactamente por essa razão que ando sempre com ele no sling: para dar resposta a estas necessidades dele!

Além disso, a posição “arredondada” de um bebé que é carregado desta forma favorece muito os bebés que sofrem de refluxo, como é o caso do Dinis.

Se tivermos em conta de que é uma necessidade, a questão de se “habituar” não se coloca, e de um modo geral é como perguntar “se lhe dermos sempre o comer a boca não se vai habituar?”. Não: é uma necessidade nos primeiros meses de vida e depois acaba por se tornar independente e comer sozinho.

O mesmo se passa com a necessidade de contacto fisico: é uma necessidade extremamente intensa nos primeiros meses, mas ao sentir-se seguro e protegido, o bebé vai rapidamente ter a confiança necessária para se lançar em busca da sua “independência”, sabendo que o seu cuidador (a mãe na maioria dos casos) estará sempre disponível!

Sim é cansativo. Sim na maioria das vezes acorda se o tento deitar. Sim há dias em que me sinto exausta. Mas tenho a certeza que estou a fazer o melhor para nós e que estaria bem pior se o Dinis passasse o dia – ou a noite – a chorar! 😉

E porquê um ring sling?

Este tipo de porta bebés (ring sling e pano)  têm várias vantagens, entre elas:

  • a posição perfeitamente fisiológica respeita a fisionomia do bebé desde o nascimento e acompanha o seu desenvolvimento;
  • favorece a prevenção da displasia da anca;
  • responde às necessidades de proximidade e segurança emocional do bebé;
  • permite ao cuidador ter as mãos livres, o que é extremamente útil!!!
  • Está sempre à distância de um beijinho!

  

(Imagens retiradas do motor de busca Google.ch)

 

A escolha entre todas as opções no mercado (ring sling, pano, mochilas – estas ultimas são fortemente desaconselhadas nos primeiros seis meses de vida do bebé) vai depender das necessidades e da realidade de cada mãe/bebé/familia. Para quem não tenha muitos conhecimentos nesta área aconselho uma consulta com uma conselheira em babywearing para tentar perceber o que melhor se adequa à situação.

Atenção ao que aparece no mercado, pois muitas marcas intitulam os seus produtos de fisiológicos quando não o são. Nenhum marsupio é fisiológico, os marsupios deixam o bebé literalmente pendurado pelos genitais.

No meu caso, optei por um ring sling, pois pela sua manipulação simples, fácil e rápida, no meu caso é o ideal para os primeiros meses. Depois quando o Dinis for maior certamente irei optar pelo pano e eventualmente uma mochila.

Há várias marcas no mercado, este com que me costumam ver é um Little Frog que comprei em segunda mão a uma amiga (eu prefiro sling e panos em segunda mão pelo facto do tecido estar mais “quebrado” e ser mais fácil de manipular), mas ha outras marcas óptimas no mercado!

Para quem tem dúvidas sobre este assunto aconselho o canal youtube da “Mãe ao cubo” e os grupos de facebook “Babywearing Love Portugal” e “Babywearing Portugal”!

Assim vai a vida… aos olhos de uma mãe (carregadeira)!

You may also like

Leave a Comment

Your email address will not be published.

scriptsell.neteDataStyle - Best Wordpress Services
error: Content is protected !!