1° aniversário do Francisco: um dia com alguns imprevistos…

By

Esta semana a minha chucha mais pequenina festejou o seu primeiro aniversário. Tinha idealizado e organizado o dia na minha cabeça, como fazemos tantas vezes: acordar, tomarmos o pequeno almoço todos juntos, deixar os mais velhos na escola, passar a manhã a brincar com o aniversariante, ir buscar os mais velhos, almoçar agradavelmente em familia, fazer o bolo de aniversario, brincar, ir ao parque, preparar um jantar simples mas bom, escrever um texto fofinho para o blog sobre o quão especial é o Francisco, e aproveitar as sestas do pequeno para ir fazendo as tarefas normais da casa – sim porque a vida não pára, nem nos dias especiais!

Mas ser mãe é estar preparada e consciente que tudo pode descambar, ter de se adaptar, re-organizar, dividir-se em 10 para apesar dos imprevistos conseguir fazer tudo.

E assim foi. Ao acordar, demos os parabéns ao Francisco, e diz o Duarte muito preocupado “oh! Não temos presente para ele!”… efectivamente, não tinhamos comprado presente. Na minha cabeça, no primeiro aniversário é mais importante ESTAR presente do que DAR presentes. Mas esqueci-me de um pequeno pormenor: o Francisco tem dois irmão mais velhos para quem era super importante oferecer um presente. Não ter um presente para dar ao mano no dia do seu aniversario era assim como se lhe estivessemos a retirar um direito constitucional, ou pior, era como se lhe estivessemos a retirar valor!

Então tomamos o pequeno almoço, deixamos os manos na escola e lá vamos nós comprar o presente. Como moramos no campo, lá atrás do sol posto, e longe da cidade, levámos a manhã inteira para ir comprar o presente, e quase nos atrasavamos para ir buscar a Eva.

No regresso, quase a chegar ao jardim de infância o Francisco sente-se mal e vomita. Imenso. Na cadeira do carro! 😱😨

Ok, parar o carro, tentar minimizar o estrago, mas rapido porque daqui a 5 minutos a Eva está a sair. Ir buscar a Eva, chegar a casa, olhar para o Francisco e pensar: como o tirar dali sem sujar o carro todo? Ok…. 1…2…3…. GO!

O almoço em familia foi substituido por restos aquecidos para dar aos mais velhos enquanto a mãe tratava do Francisco e depois da cadeira do Francisco. A ida ao parque foi substituida pelo Ruca na televisão enquanto o Francisco dormia para se tentar recompor da indisposição e a mãe estendia roupa, punha mais a lavar, arrumava a cozinha e fazia os preparativos para o jantar. O texto fofinho no dia do aniversário foi substituido por este, escrito dois dias depois, sobre a flexibilidade das mães face aos imprevistos!

Mas fizemos juntos o bolo de aniversário. E quando o Francisco acordou lanchámos juntos, e brincámos, e abrimos presentes, e jantámos, e cantámos os parabéns!

Ser mãe é ter um mestrado em como contornar imprevistos, sem deixar que o dia fique completamente virado do avesso. Ser mãe é ter o cérebro parado uma fracção de segundos quando um imprevisto surge, para logo de seguida sorrir e tentar contornar a questão.

Não foi o dia ideal como o tinha planeado, mas percebi que apesar de todos os imprevistos e de não lhe ter dedicado tanto tempo quando gostaria, o meu bebé teve um dia feliz! E isso, é o mais importante!

E o texto fofinho vai ser escrito na mesma e postado um destes dias, porque ele merece! 😉

Assim vai a vida…. aos olhos de uma mãe!

Tags:

You may also like

2 Comments
  1. Patrícia Olivença 1 ano ago
    Reply

    E assim o é, tantas vezes… dias de imprevistos 🙂

    • Catia Godinho 1 ano ago
      Reply

      É mesmo… e são muitas vezes esses dias que mais tarde dão tantas historias para contar 😛

Leave a Comment

Your email address will not be published.

scriptsell.neteDataStyle - Best Wordpress Services
error: Content is protected !!